Umbanda e Suas Heranças

No seu terreiro de Umbanda tem imagens católicas? Tem turíbulo? Vocês tem que fazer o evangelho no lar?
Hoje vamos falar sobre a Umbanda e suas heranças, vem comigo!

Vamos começar salientando que a Umbanda é 100% brasileira assim como vimos no post História da Umbanda, ela é uma religião cristã, uma religião monoteísta ou seja acredita em um só Deus.

A Umbanda herda muita coisa de outras religiões, só que isso não é uma exclusividade da Umbanda, pois todas as religiões acabam trazendo nem que sejam detalhes mínimos de outra religião para si, mas a Umbanda permite, ela abre a oportunidade para tudo que seja bom, tudo que ajude as pessoas, que ajude na manutenção da fé, tudo que possa ajudar em seus rituais e magias, desde que seja algo pro bem, a Umbanda sempre aceita sem problema nenhum.
Então podemos até dizer que a Umbanda é uma religião ecumênica, ou seja, ela é uma religião muito abrangente, uma religião muito aberta.

E para a gente entender o porque disso, mais uma vez voltamos lá na História da Umbanda no dia da sua organização, no dia da sua fundação, e como vocês já sabem a Umbanda não foi criada por Caboclo das Sete Encruzilhadas, mas sim organizada, pois antes daquela noite de 15 de novembro já existiam manifestações de Pretos Velhos e Caboclos, mas eles não usavam esse nome Umbanda e, o que Caboclo fez, foi dizer que onde existisse essas manifestações seria chamado de Umbanda.

Naquela noite de 15 de novembro, O Caboclo das Sete Encruzilhadas disse que a Umbanda é a manifestação do espirito para a caridade, mas não falou qual espírito. Então por isso temos as manifestações de tantas linhas, como Pretos Velhos, Caboclos, Marinheiros, Boiadeiros, Crianças , Ciganos, etc. Afinal, pode ser qualquer espirito que queira fazer o bem e, podem ser espíritos além dessas linhas que conhecemos aqui em São Paulo. Por exemplo no Ceará, no Maranhão com o Tambor de Mina, possuem linhas que a gente não faz nem ideia que exista, que a gente não conhece, porque a Umbanda abraça toda e qualquer manifestação que queira fazer o bem, que queira trazer algo de valor, que queira ensinar algo, pois ela não faz distinção, então isso já abre um leque enorme para trazer outras tradições e ritualísticas para dentro da Umbanda, mas lembrando que, a Umbanda tem sua própria ritualística, ela não deixa de ser Umbanda por herdar algumas coisas de outras religiões, ela não deixa de ser Umbanda e vira Católica ou Espirita, então quando alguém pergunta Karen qual sua religião? Eu digo que sou umbandista. Eu não sou católica ou espirita, afinal não é porque a Umbanda herdou os Orixás do Candomblé que eu sou candomblecista, ela herdou, mas tem sua própria organização e ritualística, ou seja, tem a sua base, sem deixar de agregar coisas de outras religiões que servem justamente para agregar um valor maior, um conhecimento maior para nossa Umbanda.

E essa herança que trazemos dos centros kardecistas a gente já vê lá na Tenda Nossa Senhora da Piedade (TENSP), que é o primeiro terreiro de Umbanda fundado pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, que foi na casa de Zélio Fernandino de Moraes, e lá a ideia espirita é muito viva, como por exemplo tem a mesa pros médiuns trabalharem sentados, todo médium lá é obrigado a ler o pentágono de Kardec. Eu por exemplo faço evangelho em casa, gosto bastante e acho legal, tenho uma dificuldade por conta da linguagem que é muito difícil, o que acaba sendo bom para ajudar aumentar o vocabulário.
Existem muitos umbandistas que fazem o evangelho no lar, então vemos a forte herança do espiritismo na Umbanda.

O próprio nome Umbanda já explica muita coisa, Umbanda, ou seja , uma só banda, tudo que há de bom nas religiões dentro de um só lugar, formando essa religião linda e tão plural que é a Umbanda.

E então, já podemos começar a pensar na herança católica, por exemplo, vemos incorporações de freis dentro da Umbanda, os próprios Pretos Velhos, que quando encarnados eram brasileiros, porque nem todo Preto Velho veio da Angola, África, então quando encarnados aqui no Brasil trazem uma herança católica muito forte.
Acredito que seja quase unanimidade de Preto Velho que chega falando em Nosso Senhor Jesus Cristo e em Nossa Senhora Aparecida, com as rezas da Igreja Católica como o Credo, Salve Rainha, assim se expressa a herança muito forte da Igreja Católica, perdendo só para o Candomblé
(pelo menos é o que eu penso), também temos as imagens. Quantos Terreiros de Umbanda que não tem nenhuma imagem de Orixá africano e só tem as imagens dos Santos Católicos.
E não podemos dizer se esta certo ou errado, pois você que irá fazer sua própria Umbanda. Se quiser misturar os Orixás africanos com os Santos Católicos vai dar certo, assim como se quiser só o Orixá ou só o Santo.
Não existe o certo ou errado, existe a Umbanda que você criou para si, a sua verdade, claro que tem que ter uma base, que é o amor fraterno e a caridade, de resto vai fluindo, pois talvez o Preto Velho que trabalha comigo pode ter uma herança católica e no meu Congá ter muita imagem Católica, mas o Preto Velho que trabalha com você pode ter vindo de Angola, África e por isso te pedir as imagens dos Orixás africanos, e esta tudo bem, não esta errado, o importante é que você consiga ajudar as pessoas e leve o amor fraterno adiante.

O próprio turíbulo se usa também na Igreja Católica. Quem já foi em missa e viu o padre com algo na mão, saindo fumaça? Pois é, aquilo é um turíbulo, ou seja, o mesmo que usamos para fazer defumação dentro dos Terreiros.
Então vemos que a religião é algo que te liga a Deus, portanto, todas religiões se ligam umas nas outras e nós quase não percebemos, mas se fomos olhar com muita atenção vamos ver que em todas as religiões tem um pouquinho de alguma ou outra.

Chegamos no Candomblé, que com certeza é a nossa maior herança, é a religião que mais trazemos similaridades conosco começando principalmente pelos Orixás.
Na Umbanda cultuamos os Orixás, por mais que algumas pessoas adorem falar que Umbanda não tem Orixá, sabemos que tem sim, alguns terreiros cultuam os Orixás sim, claro que não com a mesma ritualística de passar 21 dias no Roncó, raspar o cabelo, catular e incorporar o Orixá atracado, pois no candomblé dizem que recebem a vibração do próprio Orixá, por isso, tem que estar atracado (amarra-se um tecido no tronco, na altura do peito) para corpo aguentar a força da incorporação, pelo menos foi assim que aprendi (não entendo muito de candomblé, se eu disser algo errado pode me corrigir nos comentários).
No Candomblé, por se incorporar o Orixá, o Yaô deve ficar recolhido 21 dias recolhido dentro do roncó, com comidas específicas, com banhos específicos para a pessoa poder aguentar e sustentar a energia do Orixá que é muito forte. Isso não temos muito na Umbanda, porém, existem tendas que se utilizam dessa ritualística, o que ai formao famoso Umbandoblé, uma mistura muito mais forte de Umbanda e Candomblé, e também não está errado, pois da mesma forma que a Umbanda tem herança dos Orixás, o Candomblé também tem a herança da Umbanda quanto incorporam as entidades, muito conhecidos como “catiços” como os Caboclos.
Atualmente vemos alguns Ylês de Candomblé que recebem os Caboclos, Boiadeiros, Marinheiros e isso é magnifico, porque as religiões estão aí para se completarem, se misturarem, o importante é que todas elas levem as pessoas a evolução, levem as pessoas ao um encontro com o divino, seja ele Deus, Zambi ou Olorum, que são tudo a mesma coisa.

Uma outra herança do Candomblé é o Atabaque, que por exemplo, na TENSP, a primeira tenda de Umbanda, até os dias de hoje nunca o utilizou. O que é muito raro. No entanto muitos Terreiros antigos e novos de Umbanda fazem seu uso, devido a essa herança que vem dos cultos africanos. E uma informação importante é que o Candomblé também é uma religião brasileira e, não africana. Em uma breve pesquisa, já pode-se ver que o Culto de Nação na África é muito diferente do culto do Candomblé aqui do Brasil.
Essa é mais uma prova de que uma religião sempre acaba nascendo com base em outra, e assim vai indo, daqui alguns anos teremos varias outras religiões, e isso é Lindo! Magnifico! Até porque, o importante mesmo é que essas religiões ajudem as pessoas a evoluírem e aprender a fazer apenas o bem.

Também temos alguns terreiros que fazem camarinha, em outros tem a feitura do Santo e assim segue. Pessoalmente não posso dizer como funciona, porque nunca participei de um que tenha essas ritualísticas, assim como também existem terreiros que fazem oferendas ao Orixá com restrições de alimentos, já outros fazem com comida igual é feito no Candomblé e isso realmente é muito bacana, pois as religiões estão aqui para se completarem e não competirem.

E passando para os povos indígenas, também recebemos heranças dos Xamãs, Caciques, Pagés, etc, afinal, utilizamos as ervas para fazer nossos banhos de defesa, chás, patuás, benzimentos e muitas outras coisas.
Quem tinha a sabedoria das ervas daqui do Brasil eram os índios, Pagés e Caciques que moravam na floresta e que trabalhavam com isso. Temos o Daime, a Ayahuasca, como ótimos exemplos, pois há algumas casas de Umbanda fazem a consagração desses chás, dessa bebida sagrada assim como a casca da Jurema, onde existem os terreiros dos Juremeiros, que trabalham com a erva da Jurema, a casca da árvore, que é uma bebida alucinógena usada de forma sagrada, onde ela te leva a uma introspecção, para te ajudar para resolver seus conflitos internos. Pessoas que já provaram dizem que é muito bom. E essa é uma herança muito forte dos povos indígenas.

E enfim, chegamos no Oriente, com o povo Cigano, um povo que veio do Oriente. Há estudos científicos onde estudaram o DNA de alguns Ciganos, nesse estudo foi comprovado que sim, os Ciganos vieram da índia Visualmente é possível notar a semelhança de uma indiana com uma cigana, é muito fácil até de confundi-las, principalmente olhando pelas vestes coloridas, as joias, a forma de como fazem suas magias, pela cor da pele, etc.

Não só o povo Cigano vem do Oriente, também temos incorporações de alguns monges, de alguns espíritos que foram lideres religiosos lá no Oriente, temos os oráculos do povo Cigano, temos Buda, Shiva, os Deuses indianos que em muitos terreiros são cultuados, em meu conga mesmo nós os cultuamos, existe todo um respeito por Buda, vemos a herança, por exemplo, quando as entidades nos pedem para meditar, que é uma tradição Oriental. Outra forma de notarmos a herança oriental é através da musicoterapia, como os sons que usamos para meditar, encontrar nosso “eu interior”, dormir e relaxar. Uma outra herança com relação musical, dessa vez não é oriental, mas sim a dos sons de tambores Xamânicos, que apesar de estarem do outro lado do oceano pácifico, da mesma forma que os sons budistas, nos fazem entrar em meditação, em interiorização nos ajudando a entender e resolver nossos conflitos internos.

Em alguns estudos também vemos que em nossa linda Umbanda herdamos algumas crenças do Egito antigo, pois no Egito antigo existiam cultos muito parecidos com o nosso culto aos Orixás, onde os cultos aos Deuses era feito com músicas, reverência e oferendas, mas esse é assunto para detalhar em um outro momento, então olhando assim podemos dizer que a Umbanda, mesmo sem ter o nome Umbanda já tinha suas manifestações lá no Egito antigo, sendo assim, podemos somar mais uma herança.

Ou seja, a Umbanda é tudo, se mistura com tudo, e mesmo assim, não deixa de ser Umbanda.
Se você conhece alguma outra herança não mencionei aqui, deixa nos comentários para a gente aprender também.

Bem, já estamos indo pro fim, e pra quem não sabe, nós usamos a imagem de Santos Católicos por conta do sincretismo religioso, só porque, quando os africanos vieram pra cá escravizados eles queriam cultuar seus Deuses, mas não podiam, porque a Igreja Católica proibia e eram castigados por seus senhores, então, como forma de “driblar” essa restrição eles comparavam os Orixás com os Santos Católicos, por exemplo, pegaram Ogum que tem características de um guerreiro e compararam com São Jorge que também é guerreiro, e assim por diante, e então se formou o sincretismo dos Orixás com os Santos.

Olha, vou te dizer, a Umbanda tem muitas heranças e isso não tem problema nenhum, muito pelo contrário, isso é algo muito lindo, muito rico que nos ajuda na conexão universal, formando sempre um “todos em um”, e mesmo entrando em religiões diferentes, com ritualísticas diferentes, não importa, o que importa mesmo é o resultado final, e que leve evolução e o bem para todos.

Tendo tudo isso na mente, vemos que a “Umbanda pura” não existe, nenhum lugar faz uma Umbanda pura, nem mesmo na primeira tenda, fundada por Zélio Fernandino de Moraes, afinal, lá trás inúmeras heranças do Espiritismo.

E é com muito alívio no coração que concluo dizendo que Umbanda não é pura, nunca foi e nunca será, pois sempre irá herdar coisas de outras religiões sem perder sua base.
Então nunca aponte o dedinho pro terreiro do irmão alegando que o terreiro dele não é Umbanda, mas sim o seu.

Eu fico por aqui, que Oxalá te abençoe,
Que Buda te abençoe,
Que os Xamãs te abençoem,
Que Nossa Senhora Aparecida abençoe a todos,
E que seu foco seja sempre evoluir e fazer o bem!

Até a próxima. Axé!

Nos siga no instagram: @nossaumbandaa

Se inscreva em nosso canal no Youtube: Nossa Umbanda

E nos siga no Facebook: Nossa Umbanda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.